Mostra D-Efeitos e Convidados reúne o melhor das danças urbanas no Teatro Brigadeiro, em São Paulo

leave a comment »

Nos dias 12 e 13 de maio os vencedores do programa Qual é o Seu Talento?, do SBT, promovem uma mostra-espetáculo de dança especial em São Paulo.

Por cinco meses eles disputaram o concurso que os consagrou como o grande talento de 2009 no programa Qual é o Seu Talento?, exibido pelo SBT. Foram mais de cinquenta mil inscritos e, vencendo as etapas, André Bidu, André Dedo e Renan Livi mostraram em rede nacional a essência das danças urbanas, com o grupo D-Efeitos.

Para agradecer ao apoio do público, dos amigos, familiares e colegas de trabalho, o trio promove nos dias 12 e 13 de maio a Mostra D-Efeitos e Convidados, um espetáculo que leva ao palco do Teatro Brigadeiro, em São Paulo, aqueles que são destaque na cena nacional das danças urbanas. Além disso, o público vai assistir a estreia de uma nova coreografia do D-Efeitos, criada especialmente para o evento.

D-EFEITOS

O simpático trio, conhecido entre o público por dançar com óculos coloridos sem lentes, formou-se em 2008 inspirado no gênero musical Glitch Hop. O termo Glitch, em inglês, significa defeitos de programação dentro da música, contudo sem perca de ritmo, explica André Bidu, fundador do grupo. “Isso deixa a música interessante e traz ideias para a coreografia. Os movimentos, normalmente, são pensados para produzir efeitos corporais, por isso o trocadilho entre ‘defeitos’ e ‘efeitos’ foi natural”, finaliza.

Hoje o grupo possui quatro trabalhos apresentados para o público e disponíveis para acessos na internet (www.d_efeitos.com). Antes do sucesso no programa Qual É o Seu Talento? a primeira coreografia, Prólogo, foi premiada com troféu de primeiro lugar nas três competições nacionais em que participou no ano passado: 19º Festival de Dança Mery Rosa (Itajaí-SC), 17º  Passo de Arte (Indaiatuba-SP) e 27º Festival de Dança de Joinville (Joinville-SC).

DANÇA URBANA

As danças urbanas, em sua maioria, nasceram em meados das décadas de 70 e 80 nos Estados Unidos e passaram por um processo de amadurecimento até a geração dos anos 2000, fazendo com que o seu conteúdo artístico crescesse exponencialmente. Hoje, nas TVs americana e européia é certa a presença delas, assim como shows específicos das populares street dances são cada vez mais comuns, respeitados e aclamados pelas plateias nestes locais.

O estilo de dança vem conquistando espaço e dissolvendo estereótipos no meio artístico e, principalmente, na sociedade. Dançarinos exploram horizontes utilizando inúmeras linguagens corporais que esta modalidade de arte oferece. Este processo encaixa a dança como parte integrante da rotina moderna, deixando de lado os guetos e projetando-se para uma ideia anacrônica, quase futurista.

SERVIÇO:

Mostra D-Efeitos e Convidados
12 E 13 DE MAIO – 20horas

Duração: 60 minutos
TEATRO BRIGADEIRO – Av.Brigadeiro Luis Antônio, 884, Bela Vista – São Paulo

700 lugares  (O teatro cumpre com todas as normas de acessibilidade exigidas pelo CONTRU)
Estacionamentos próximos: R$ 10,00

Ingressos: R$ 50,00 e R$ 25,00 (Reservas pelo site: www.d-efeitos.com)

Vídeo | Teaser da Mostra: http://www.youtube.com/watch?v=0se6y3svVeQ

Cartaz em alta resolução: http://twitpic.com/1e23nm

Imprensa: Julianna Santos | JS Comunicação e RP
11 32577841/ 62834164

Parceiro: Larissa Tietjen | Ba(tu)que Comunicação
11  7176-2019

Clique a seguir para ver a programação completa da Mostra D-Efeitos e Convidados


MOSTRA D-EFEITOS E CONVIDADOS
Programação das apresentações:

1º – Frank Ejara (Discípulos do Ritmo)
Coreografia: Som Do Movimento (20 minutos)

O espetáculo leva o público a um universo imaginário, onde som e movimento se mis-turam e já não se define mais se o movimento cria o som ou o som cria o movimento. O dançarino tem o poder de manipular o som e com isso fazer sua coreografia na ausência de música propriamente dita. Frank Ejara é um dos primeiros e mais importantes pioneiros das danças urbanas no Brasil. Fundou a companhia Discípulos do Ritmo em 1999, e com ela conta com mais de 15 turnês e intercâmbios pela América do Norte, América do Sul e Europa (em países como Estados Unidos, Alemanha, França, Holanda, Grécia, Itália, Alemanha e Bolívia). Ministrou workshops e apresentou-se em todos os estados brasileiros, tendo inclusive, um papel importante de jurado e arte-educador nos maiores festivais de dança nacionais.

2º – WaziMu!
Coreografia: Rosa dos Ventos (8 minutos)

Baseado nos pontos cardeais, os dançarinos orientam seu corpo utilizando-se de técnicas corporais. A dança faz com que consigam encarar a mesma direção, apesar da natureza de cada dançarino o puxar para um lado diferente. WaziMu!, significado de “loucura” no dialeto africano swahili, foi criada em 2007, com o objetivo de unir dançarinos de diferentes estilos em um mesmo projeto. O principal objetivo é a montagem de espetáculos de danças urbanas, porém, com uma visão contemporânea da dança, uma linguagem diferente da utilizada nos dias atuais. A cia. WaziMu! trabalha com praticamente todas as danças urbanas originais, como hip hop, house dance, popping, locking, waackin e breaking. Promove mostras de dança e workshops em sua cidade natal, Bauru (SP).

3º – Cia. Kahal
Coreografia: O Som Sob a Luz (4 minutos)

Todo mundo precisa de uma luz em suas idéias, de vez em quando. Esse duo de Jundiaí mostra como essa idéia pode ser literal, quando a luz interfere diretamente no padrão de movimentos em cena. O grupo conta com um currículo de premiações em festivais de todo o Brasil, nas competições de Dança de Rua mais importantes do gênero: como Festival Internacional de Hip Hop (Curitiba-PR), Meeting Hip Hop (Valinhos – SP) e Festival de Dança de Joinville (Joinville – SC) com diversos trabalhos, entre eles conjuntos, duos e solos. Foi representante brasileiro no World Hip Hop Dance Championship 2009, em Las Vegas. O campeonato internacional reúne os melhores grupos de dança de rua do mundo em diferentes categorias. O grupo, que existe há quatro anos, foi selecionado depois de ficar entre os três melhores grupos do festival de hip hop do 18º Fitness Brasil, realizado em maio, na cidade de Santos. O estilo de dança engloba influências de várias técnicas de danças urbanas, como Popping, House Dancing e Hip Hop Freestyle.

4º – D-Efeitos
Coreografia: Primeiro Ato (11 minutos)

D-Efeitos utiliza o gênero musical Glitch Music – música eletrônica com adição de defeitos de programação rítmicos – e diversas técnicas de Danças Urbanas como waving, robotting, animation e warping. Nesses citados defeitos musicais, o elenco do D-Efeitos executa a dança fragmentada e vibrada, acelerada e desacelerada, reproduzindo a música em forma de expressão artística matemática. Vibrações nas ondas sonoras tornam-se vibrações e ondas corpóreas. Atrasos sonoros manipulam o movimento em uma simulação de quebra do espaço-tempo. Cada uma das notas e defeitos musicais são explorados para se tornarem movimentos e ilusões corporais.

Anúncios

Written by Luise Tietjen

maio 9, 2010 às 11:19 PM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: